Comissão quer fomentar o ensino sobre a história e cultura africana

Onegro_trovador

Apostar em programas de formação e capacitação para professores da rede de ensino estadual para que eles possam lecionar sobre História e Cultura Afro-Brasileira foi a idéia mais difundida durante o debate sobre a Lei federal 10.639/03, que prevê a inclusão em todo o currículo de escolas públicas e privadas do ensino da História da África, além da Educação sobre as Relações Étnico-Raciais. O evento, realizado pela Comissão Especial dos 120 anos de Abolição da Escravatura da Assembléia Legislativa do Rio, aconteceu nesta sexta-feira (09/11), no auditório do Colégio Pedro II, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense. Para o presidente da comissão, deputado Gilberto Palmares (PT), a preparação desses profissionais é o primeiro passo para que a lei possa ser posta em prática, já que foi sancionada há quatro anos. “A capacitação dos professores é somente o início da nossa luta para conseguirmos que as escolas de todo o estado obedeçam o documento e ofereçam aulas sobre a cultura afro-brasileira. É muito importante a Alerj participar de encontros como esse para sabermos quais são as maiores carências dos profissionais da Educação”, explicou o parlamentar. Segundo a representante do setor de Diversidade e Inclusão Social da Secretaria de Estado de Educação, Milena Souza, algumas ações já estão sendo tomadas para a capacitação dos professores. “A secretaria tem um compromisso com essa questão.

Já acertamos uma parceria com o Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap) para que nossos profissionais possam ter aulas sobre a História da África com profissionais do órgão”, explicou Souza, acrescentando que outras atitudes estão sendo executadas, tais como a exibição de filmes e debates sobre a cultura africana nas escolas do estado. O secretário-executivo do Ceap, o pedagogo Ivanir dos Santos, também acredita que a formação de profissionais é fundamental para a aplicação da Lei 10.639 e explicou como o centro tem trabalhado nesse sentido. “Produzimos um material (seis livros contendo informações sobre a cultura e a religião afro-brasileiras) para ser distribuído nas escolas do estado e orientar teoricamente os profissionais da Educação. Ainda estamos promovendo um concurso de redação chamado ‘Camélia da Liberdade’, que pretende ampliar o debate entre os estudantes sobre a igualdade racial na sociedade brasileira”, salientou. O projeto de capacitação dos professores já conta com o apoio da Secretaria de Educação de Duque de Caxias.

De acordo com a professora Miriam de França, representante da prefeitura, existe, desde 2006, um curso de introdução à cultura afro-brasileira nas escolas do município. “Com um ano e meio de existência, já formamos 500 professores para darem aulas. Temos que abraçar a causa e dispor de orçamento e material para profissionais e alunos”, solicitou França. Marilze de Oliveira, representante do Sindicato Estadual de Profissionais de Educação (Sepe-RJ), acredita que a lei só vai ser cumprida se houver um grande debate como o ocorrido nesta sexta-feira. “Trabalho em escolas da rede privada e a maioria dos funcionários nunca ouviu falar sobre a lei. Somente com encontros, como o de hoje, vamos conseguir difundir esse tema”, disse. A comissão volta a se reunir na próxima quarta-feira (13/11) para a antecipação das comemorações pelo Dia da Consciência Negra – 20 de novembro –, com a entrega da Medalha Tiradentes para o historiador e compositor Nei Lopes. “Vamos juntar as informações de todas as audiências ocorridas em 2007 para a realização de um seminário em 2008, quando comemoramos os 120 anos da abolição da escravidão”, concluiu Palmares.

Fonte: ALERJ Notícias

2 Responses to Comissão quer fomentar o ensino sobre a história e cultura africana

  1. Claudemilson dos Santos Rosa disse:

    Olá, meu nome é Claudemilson Rosa.
    Sou pedagogo e gostaria de saber sobre o curso de capacitação de professores, para lecionar na disciplina de História da África que o Ceap, na pessoa de Ivanir dos Santos, estaria pra ministrar?
    Desde já agradeço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>