Camélia da Liberdade 2011 emociona quase duas mil pessoas no VIVO Rio

Camélia da Liberdade 2011 emociona quase duas mil pessoas no VIVO Rio

Zózimo Bulbul

Na noite desta quarta-feira, dia 16 de novembro, a casa de espetáculos Vivo Rio foi palco para a sexta edição do Prêmio Camélia da Liberdade, que reconhece empresas, personalidades, imprensa e instituições de ensino que valorizam Ações Afirmativas. O evento, realizado pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) e patrocinado pela Petrobras, reuniu cerca de duas mil pessoas e teve como mestres de cerimônias a atriz e poetisa Elisa Lucinda e o ator Érico Brás, além de várias atrações culturais, com participações especiais de Elza Soares e Luiz Melodia. A emoção marcou a noite de premiações e mostrou como o Camélia da Liberdade se tornou um selo pela inclusão do negro.

O número de abertura contou com uma apresentação de dança com mulheres negras, do Grupo Rubens Barbot e Gatto Larsen. Na sequência, os apresentadores prestaram homenagem a três figuras icônicas do Movimento Negro: Maytê Ferreira, Yá Regina de Bangbosé e Abdias Nascimento. Em seguida, o secretário executivo do Ceap, Luiz Carlos Semog, e a representante da Petrobras, Janice Dias, foram convidados a subir ao palco. Semog mencionou que este ano o CEAP estava homenageando Luiza Mahin e todas as mulheres negras que contribuíram para a formação do País. Janice celebrou a parceria e as novas conquistas. “Hoje temos mais de 40 mil crianças aprendendo e discutindo a história do negro nas escolas”.

O mote da premiação é o reconhecimento de iniciativas que promovam as Ações Afirmativas como forma de contribuição para a superação das desigualdades raciais e sociais. Três empresas que promoveram essas ações por meio de programas de integração, capacitação para o trabalho e/ou promoção funcional de trabalhadores afro-brasileiros foram premiadas: Grupo Accor, Sabin – Laboratório Clínico – e CPFL Energia. Logo depois, o Grupo Batucada, da Escola Agrícola Nilo Batista, se apresentou usando instrumentos musicais feitos com material reciclado.

“É o prêmio mais importante da minha vida”, disse Lázaro Ramos

Na categoria “Imprensa”, foram escolhidos o jornalista Élio Gaspari; o ator Lázaro Ramos, pela criação, direção e apresentação do Programa Espelho, do Canal Brasil; e o Programa Sagrado, série da TV Globo e Canal Futura que mostra assuntos variados sob a ótica de diversas religiões.

Élio Gaspari não compareceu à cerimônia por motivos pessoais. O coordenador de Comunicação do CEAP, Ricardo Rubim, recebeu o prêmio e declarou se sentir honrado por representar o jornalista na ocasião. “Sinto-me extremamente feliz por ser tão novo e estar apenas representando Élio Gaspari, e justamente com o Prêmio Camélia, que é tão significativo para nossa sociedade. O prêmio será entregue a ele, em breve, em São Paulo, pelo Ivanir (conselheiro estratégico do CEAP)”.

O ator Lázaro Ramos se desculpou, mas disse que quebraria o protocolo e não falaria apenas obrigado, como costuma fazer ao ser premiado. “Esta é uma vitória de tantas pessoas, de tantos parceiros. Geralmente, quando sou premiado, falo apenas ‘muito obrigado’. Mas o Camélia é transformador e, sem dúvida alguma, é o prêmio mais importante da minha vida”, disse emocionado ao receber o primeiro prêmio do Espelho.

O diretor da Central Globo de Comunicação, Luis Erlanger, agradeceu a homenagem e discursou que é preciso se dar conta de que todos são afro-brasileiros. “Mandei fazer um mapeamento de meu código genético, e ficou constatado que 0,03% do meu sangue era negro. Tenho certeza que todos precisamos nos dar conta de que temos origem afro. Isso diminuirá muito o racismo no nosso País”, disse Erlanger, que completou explicando como se deu conta também da essência do nome do programa vencedor do Camélia. “Conversando com um amigo judeu, ele me perguntou se eu sabia o que significava de verdade a palavra sagrado. Então, na conversa, fiquei sabendo que sagrado é tudo aquilo pelo que você está disposto a morrer. Pensei, como sou ateu, na família e filhos. Com isso, vi a importância que a religião tem para os brasileiros. E o Sagrado tem o objetivo de expor aquilo que é sagrado para cada crença”.

Personalidades Três personalidades foram laureadas com o troféu: o antropólogo Kabengele Munanga; o fundador do Centro Afro-Carioca de Cinema, Zózimo Bulbul, que se emocionou ao receber a homenagem em vida; e a primeira juíza negra do Brasil, Luislinda Valois. “A elite brasileira não gosta de nos ver com canetas. Preferem nos ver com algemas. Mas a inteligência não é privilégio de uma raça. E a nossa, além de muito inteligente, é muito forte. O racismo mata a alma e destrói o físico”, disse a juíza.

De forma emocionada e em tom despojado, Zózimo apontou do palco para Ivanir dos Santos, que estava na primeira fileira da plateia, e brincou: “Você vai me pagar. Mal consigo falar de tão emocionado. Estou com 74 anos, e receber o Prêmio Camélia me deixa muito feliz, porque nossa sociedade tem mania de homenagear pessoas após a morte. Muito obrigado ao CEAP por este reconhecimento”.

As instituições que se destacaram pelo implemento da política de cotas e consolidação da Lei 10.639/03 também foram lembradas: Universidade Federal de Sergipe, Universidade Federal do Maranhão e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial.

O conselheiro estratégico do Ceap, Ivanir dos Santos, subiu ao palco e agradeceu a jornalistas como Élio Gaspari, Miriam Leitão e Ancelmo Gois por terem sido os primeiros a apoiarem publicamente o sistema de cotas. “Temos que reconhecer em outras pessoas os valores positivos e lutar para construirmos uma sociedade mais democrática e respeitosa”, disse.

Ao fim da premiação, os convidados assistiram ao show de Elza Soares e Luiz Melodia, quando muitos levantaram das mesas e foram curtir próximo ao palco, fechando o evento de forma vibrante e descontraída.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*